Todos os posts em: Opinião

Dia do Índio, dia do “outro”

Pelo que sei, a etnia brasileira é formada pelo índio e as demais que chegaram depois, porém, o povo brasileiro não o insere no contexto social, pois ele está sempre à margem. O índio muitas vezes é visto como um “outro”, no imaginário popular de Iracema, Perí, ou seja, nos livros de José de Alencar. A visão que a sociedade tem do índio nos faz parecer que ele não faz parte da nossa etnia, é como se fosse um “patrimônio” brasileiro. Renato Russo soube exemplificar isso na música “Que país é esse”, quando diz: “quando vendermos todas as almas dos nossos índios no leilão. Que país é esse?”. Esta visão do índio que o povo brasileiro ainda tem é do herói, é a imagem de Peri ou de Iracema, vivendo apenas nas florestas, ou seja, a sociedade não consegue vê-los nos grandes centros, nas universidades, ocupando cargos em empresas, etc. Os índios ainda permanecem como estes heróis no imaginário popular e hoje, Dia do índio, muitas escolas ou pessoas irão se “fantasiar” de indígena, repetindo …

A informação é “livre”, mas a notícia deve ser “profissional”

Pelo profissionalismo da notícia e da valorização do jornalista diplomado Com o avanço das mídias sociais e a recente ascenção dos “youtubers e influencers”, assim como centenas de blogs, sites e os mais diversos portais que produzem milhares de informações, conteúdos estão sendo compartilhados muitas vezes, sem o profissionalismo necessário. A questão é: quais os tipos de informações e quem são estas pessoas que produzem estes conteúdos? Muitas delas têm o dom de escrever e de se comunicar, outras cometem erros incríveis. Mas estes dois casos são bem claros: a notícia fica precária quando não é produzida por um jornalista, viabilizando a produção de fake news ou de um jornalismo amador. E este dilema começou há décadas, mas a terrível Medida Provisória 905/2019 revogou os artigos 4º, 5º, 8º, 10º, 11º e 12º do Decreto 972/1969 que regulamenta a profissão de jornalista. Apenas o artigo 4º tinha relevância para a atividade profissional, por exigir a obrigatoriedade do registro profissional. No entanto, a Medida Provisória preservou o artigo 6º que estabelece as 11 funções exercidas pelos …

Terremoto no Haiti

Por Ivanide Sainvil – Estudante O terremoto de 2021, que aconteceu no mês de agosto, foi um dos mais fortes a atingir o país, em todos os tempos, tendo registrado 7.2 graus na escola Richer em seu hipocentro (ponto de origem no interior da costa terrestre). Esse terremoto vitimou 2183 pessoas e deixou outras 12 mil feridos e 32 pessoas desaparecidas. Este terremoto aconteceu em função do país estar localizado em uma área elevada de instabilidade técnica. Além do encontro de zonas instáveis de placas tectônicas que se estendem ao norte e ao sul do país, cuja movimentação pode dar origem aos intensos tremores de terra. O Haiti é um país caribenho situado na América Central, uma ilha no mar caribenho com várias belezas naturais, porém falta apoio de uma política internacional para socorrer o país perante as constantes catrástofes. Além dos entraves políticos a população sofre com os desastres naturais, pois a história haitiana é marcada por tremores de grandes proporções, os quais deixam para trás um imenso rastro de destruição.

NÃO AO SAMPAPREV 2!

Resistir ao SAMPAPREV 2 é, antes de tudo, uma luta pela dignidade de do servidor público municipal.  Por João Batista do Expresso Periférico Diante de uma das maiores crises da humanidade, que teve o Brasil como epicentro, covardemente, o Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes tenta aprovar um pacote de maldades, que tem como objetivo principal o sucateamento ainda maior dos serviços públicos. Num cenário com mais de 600 mil mortos por COVID-19, mais de 90 milhões de pessoas entre desempregados e subempregados, mais da metade das famílias em estágio de insegurança alimentar, carestia, escalada da violência, entre outros problemas. É que o Prefeito apresenta seu pacote de maldades e à “toque de caixa”, juntamente com o Presidente da Câmara Municipal, Milton Leite, que com seu modo de conduzir os trabalhos no legislativo paulistano, faz jus à expressão “tratorar”, atropelando a tudo e a todos, é que eles vêm buscando retirar dos(as) trabalhadores(as) e entregar ainda mais aos bancos e grandes empresas. Os projetos de lei apresentados pelo executivo, vão desde: o aumento do IPTU …

Halloween e o estrangeirismo

O Halloween entrou no calendário brasileiro. O dia 31 de outubro é a data que está sendo comemorada no Brasil por conta desta festa tipicamente americana-europeia em homenagem ao Dia das Bruxas/Dia de Todos os Santos (veja a história), o que não tem nada a ver com a cultura brasileira, porém amada pelas crianças por conta das brincadeiras “trick and treat” (doces ou travessuras) e também pelas fantasias e as decorações de terror. No inicio dos anos 2000, as escolas de idiomas começaram a comemorar as datas enfeitando as fachadas das escolas, logo em seguida alguns comércios, principalmente os dos shoppings fizeram o mesmo, com as decorações nos interiores das lojas e isto passou a acontecer em vários pontos comerciais. Percebendo isto, alguns “defensores da cultura brasileira” criaram o Saci O Dia do Saci a partir do projeto de lei federal iniciado pelo deputado Chico Alencar e a vereadora Ângela Guadagnin. A data comemorativa foi criada para reviver figuras do folclore brasileiro, como uma contraposição ao Dia das Bruxas. Entretanto, estes políticos se esquecem que …