Cultura
Deixe um comentário

Fábricas de Cultura celebram mês dos Povos Indígenas e da Visibilidade Lésbica com atividades diversas

Em agosto, as unidades das zonas Norte e Sul da capital paulista, da Região Metropolitana e do Vale do Ribeira (SP) terão festivais, bate-papos, exibições de filmes e slam temático para celebrar a diversidade e a cultura brasileira.

Agosto é um mês recheado de datas que celebram a diversidade e a cultura brasileira. Desta forma, a programação das Fábricas de Cultura das zonas Norte e Sul da capital, da Região Metropolitana (Osasco e Diadema), e do Vale do Ribeira (Iguape), irá abordar o Dia Internacional dos Povos Indígenas (9/08), do Folclore (22/08) e da Visibilidade Lésbica (29/08) com festivais, bate-papos, filmes e até slam. Confira os detalhes:
 

No dia 9, às 15h, a Fábrica de Cultura Capão Redondo irá transmitir pelo Instagram das Fábricas a conversa Relatos sobre a Retomada Indígena com o coletivo Não-lugar, que está produzindo um projeto audiovisual de mesmo nome. O bate-papo abordará a produção dos episódios e sobre como retratar identidades vistas como “minorias”. Às 15h30, pelo Facebook das Fábricas de Cultura, a unidade Vila Nova Cachoeirinha realiza a atividade Toca da Onça: troca de saberes indígenas, em que Tamikuã Txihi, liderança indígena do povo Pataxó (SP), artista plástica e poeta, apresentará o espaço cultural de memória viva, localizado na aldeia Tekoa Itakupe na Terra Indígena do pico do Jaraguá, na capital paulista.
 

Já a Fábrica de Cultura Diadema, através do instagram, transmite a atividade Um Dia para Sempre, às 16h, que irá apresentar a cultura dos povos originários por meio da fala de povos guaranis. Também no dia 9, mas a partir das 19h, a Fábrica de Cultura 4.0 de Iguape promove um bate-papo com Yakecan Potyguara, jovem ativista indígena, lésbica, originária da aldeia do São José, na cidade de Crateús (CE), e fundadora do Coletivo Caboclas LGBTI+ Indígena. Na conversa transmitida pelo Facebook, Yakecan falará sobre o protagonismo e a visibilidade dos indígenas, questões de gênero, sexualidade e identidade.
 

João Cayres / Divulgação

No dia 10 de agosto, às 19h, acontece a atividade Produção e Ativismo nas Redes Sociais, com o coletivo Siriricas. Pelo Instagram das Fábricas de Cultura, o coletivo conversa com o público sobre os próprios processos de criação do podcast de mesmo nome, que trata de assuntos relacionados ao empoderamento, empregabilidade, saúde, sexualidade e o bem-estar de mulheres negras. Os diálogos pelo Instagram continuam no dia 12 de agosto com a ação Tibiras – Indígenas LGBTQIAP+, promovida pela Fábrica de Cultura Brasilândia, a partir das 12h. Será exibido um vídeo em que os integrantes do Coletivo Tibira apresentam a realidade indígena LGBTQIAP+.
 

A unidade Jaçanã realiza no dia 13, a partir das 15h, o Festival Mês do Povos Indígenas que contará com apresentações de artistas indígenas: Souto MXLyrica e a dupla Androyde Sem Par, que apresentarão suas composições que mesclam ancestralidade e a resistência de povos originários com gêneros musicais contemporâneos.
 

Também há espaço para o cinema com a exibição do curta-metragem Nós Já Transcendemos, do artista Harlley, na Fábrica de Cultura Jardim São Luís, no dia 14 de agosto, às 14h. O curta apresenta a jornada de transformação de uma jovem moradora do Capão Redondo, que ao se entender artista não-binária, vai contra as crenças da mãe religiosa. O projeto envolveu o trabalho de pessoas pretas, periféricas, queers e trans para falar sobre a transgeneridade na periferia.
 

Na Fábrica de Cultura 4.0 de Osasco, a equipe de biblioteca recebe o escritor Cristino Wapichana no dia 16 de agosto, às 14h, para um bate-papo sobre os povos indígenas no Brasil, abordando os prejuízos dos estereótipos e a presença dos indígenas nas cidades. Cristino é descendente do povo Wapichana, músico, escritor, arte-educador e autor de diversos livros, entre eles “A boca da noite” (vencedor do Prêmio Jabuti 2017), além de difusor da cultura indígena.
 

A criançada também poderá aprender sobre o folclore brasileiro com o musical Alendígenas, apresentado no dia 17 de agosto, às 15h, na unidade Jardim São Luís. Na história, os Alendígenas (Simbi e Ling) são seres habitantes do Planeta Musical K4, onde o principal meio de comunicação é a música. Conectados com a atual era cibernética, eles possuem naves supersônicas imaginárias, viajando por galáxias distantes em busca de conhecimentos e histórias para musicar.
 

O folclore segue em destaque, agora no espaço virtual. No dia 23, às 17h, será transmitido pelo Instagram das Fábricas a contação de história Mãe da Mata. A atividade pretende apresentar a lenda de Mãe da Mata, muitas vezes chamada também de “Comadre Fulozinha”, que já teve sua história usada para assustar crianças desobedientes, mas que hoje assusta quem vem destruir as florestas.
 

Na palestra Oxigenando as Diferenças a cantora, compositora, guitarrista, produtora musical e arte-educadora Laura Finocchiaro falará sobre a LGBTfobia usando suas próprias canções. A apresentação, que será transmitida pelo YouTube das Fábricas no dia 27 de agosto, às 15h, é baseada na vida artística e na militância pelo respeito às diferenças e no combate às injustiças sociais que Laura vem realizando há 40 anos.
 

Já no dia 28, às 17h, o Slam Capão recebe Jéssica Campos, poeta marginal, organizadora do Sarau do Capão e autora dos livros “Transcrevendo à Marginalidade” (2020) e “Marginalizando o Amor” (2022). A conversa será sobre a Importância da Leitura para a Autoestima de Mulheres Lésbicas, dialogando sobre a presença delas na literatura, tanto como autoras como personagens. O bate-papo será transmitido pelo Facebook das Fábricas de Cultura.
 

Pelo YouTube das Fábricas, a cantora, compositora e produtora Maria Beraldo irá apresentar, através da atividade Ideias e Sons, suas canções e falar sobre o próprio processo de composição com foco em seu álbum de estreia, Cavala (2018), que traz muito da sua sexualidade. A apresentação está agendada para o dia 29, às 16h, e terá intérprete de Libras.
 

Já a Fábrica de Cultura 4.0 de Iguape realiza no dia 29 de agosto, a partir das 19h, o Festival LGBTQué Isso?, que reunirá a cantora Yasmin Farias, a grafiteira Di Monique, a psicóloga Mariana Cabeça e a ginecologista Cybele Lascala em uma roda de conversa sobre a potencialidade do mês da visibilidade lésbica dentro das suas atuações e o poder da representatividade dessas profissionais. A conversa será mediada pela educadora cultural e pesquisadora das questões de gênero Juliana Ladun.
 

A programação do mês termina com duas agendas bem interessantes: no dia 30 de agosto, às 19h, acontece o bate-papo Visibilidade Lésbica com a psicóloga e palestrante Alaine Santana. A conversa transmitida pelo Facebook das Fábricas de Cultura tem como foco a visibilidade de lésbicas negras, suas vivências e saúde mental. No dia 31, às 17h, estará disponível no Youtube das Fábricas a produção Flow Corre, da UDG Filmes, que traz uma visão do folclore brasileiro através do futurismo para ressignificar a identidade nacional.
 

Atualmente, as unidades recomendam o uso de máscaras nos espaços internos. No caso de Diadema, o uso é obrigatório devido ao decreto municipal nº 8.154. O programa Fábricas de Cultura é da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis.

Serviço:

(Gratuito)

FÁBRICA DE CULTURA JARDIM SÃO LUÍS

Endereço: Rua Antônio Ramos Rosa, 651 | Telefone: (11) 5510-5530

NÓS JÁ TRANSCENDEMOS – HARLLEY | VISIBILIDADE LGBTQI+

14/8 — Domingo — 14h

Atividade Livre

Presencial na unidade.

ALENDÍGENAS, UMA AVENTURA MUSICAL PELO FOLCLORE BRASILEIRO

Coordenação: Estúdios Fábricas de Cultura

17/8 — Quarta-feira — 10h

Atividade Livre.

Presencial na unidade.

FÁBRICA DE CULTURA CAPÃO REDONDO

Endereço: Rua Bacia de São Francisco, s/n | Telefone: (11) 5822-5240

RELATOS SOBRE A RETOMADA INDÍGENA COM O COLETIVO O NÃO-LUGAR

9/8 — Terça-feira — 15h

Faixa Etária: maiores de 12 anos

Online | Instagram

SLAM CAPÃO: IMPORTÂNCIA DA LITERATURA PARA AUTO ESTIMA DE MULHERES LÉSBICAS

28/8 — Domingo — 17h

Atividade Livre

Online | Facebook

FLOW CORRE

31/8 — Quarta-feira — 17h

Atividade Livre

Online | Youtube 

FÁBRICA DE CULTURA DIADEMA

Endereço: Rua Vereador Gustavo Sonnewend Netto, 135 – Centro – Diadema/SP | Telefone: (11) 4061-3180

UM DIA PARA SEMPRE | MÊS DOS POVOS INDÍGENAS

9/8 — Terça-feira — 16h

Atividade Livre

Online | Instagram

VISIBILIDADE LÉSBICA COM PSICÓLOGA ALAINE SILVA

30/8 — Terça feira — 19h

Atividade Livre

Online | Facebook

FÁBRICA DE CULTURA BRASILÂNDIA

Endereço: Avenida General Penha Brasil, 2508 | Telefone: (11) 3859-2300

TIBIRAS – INDÍGENAS LGBTQIAP+

12/8 — Sexta-feira — 12h

Atividade Livre.

Online | Instagram

MARIA BERALDO – IDEIAS E SONS | DIA DA VISIBILIDADE LÉSBICA

Coordenação: Estúdios Fábricas de Cultura

29/8 — Segunda-feira — 16h

Atividade Livre.

Online | Youtube

FÁBRICA DE CULTURA JAÇANÃ

Endereço: Entrada 1: Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 | Entrada 2: Rua Albuquerque de Almeida, 360 | Telefone: (11) 2249-8010

MÊS DOS POVOS INDÍGENAS | FESTIVAL COM SOUTO MC, LYRYCA E ANDROYDE SEM PAR

Coordenação: Estúdios Fábricas de Cultura

13/8 — Sábado — 15h

Atividade Livre.

Presencial na unidade.

MÃE DA MATA | COMEMORAÇÃO AO DIA DO FOLCLORE

23/8 — Terça-feira — 17h

Atividade Livre.

Online | Instagram 

FÁBRICA DE CULTURA VILA NOVA CACHOEIRINHA

Endereço: Rua Franklin do Amaral, 1575 | Telefone: (11) 2233-9270

TOCA DA ONÇA: TROCA DE SABERES INDÍGENAS

9/8 — Terça-feira — 15h30

Atividade Livre.

Online | Facebook

OXIGENANDO AS DIFERENÇAS, COM LAURA FINOCCHIARO

Coordenação: Estúdios Fábricas de Cultura

27/8 — Sábado — 15h

Atividade Livre.

Online | Youtube

FÁBRICA DE CULTURA 4.0 OSASCO

Rua Santa Rita, s/nº – Jardim Rochdale — Osasco | Tel: (11) 3689-7600

PRODUÇÃO E ATIVISMO NAS REDES SOCIAIS COM SIRIRICAS PODCAST

10/8 — Quarta-feira — 19h

Atividade Livre.

Online | Instagram

ENCONTRO COM O AUTOR CRISTINO WAPICHANA
Coordenação: CW Cultural.

Com: Equipe de Biblioteca
16/8 — Terça-feira — das 14h às 15h30
Atividade Livre.

Presencial na unidade.
 

FÁBRICA DE CULTURA 4.0 IGUAPE

Praça Engenheiro Greenhalgh, 01, Centro Histórico — Iguape | Tel: (13) 3848-9300

ESQUENTA | FESTIVAL LGBTQUÉ ISSO?

29/8 — Segunda-feira — 19h

Classificação Indicativa: maiores de 11 anos

Presencial na unidade.

YAKECAN POTYGUARA | FUNDADORA DO “COLETIVO CABOCLAS LGBTI+ INDÍGENAS”

9/8 — Terça-feira — 19h

Atividade Livre.

Local: Online | Facebook 

——

Funcionamento das unidades:

De terça a sexta, das 9h às 19h.

Unidades Jardim São Luís, Vila Nova Cachoeirinha e Jaçanã: Finais de semana e feriados, das 12h às 17h.*

Unidades Brasilândia, Capão Redondo e Diadema: Aos sábados das 9h às 17h.*

Unidade 4.0 de Osasco: de terça a sexta das 9h às 18h.

Unidade 4.0 de Iguape: de terça a sextas das 9h às 21h, e aos sábados das 9h às 17h.

Funcionamento das bibliotecas:

De terça a sexta, das 9h às 19h. Aos finais de semana e feriados, das 11h às 17h*

Exceto a unidade Capão Redondo, que aos sábados atende das 9h às 14h.

*Para conferir o horário exato de sua unidade, favor entrar em contato por telefone com a recepção.

Acessibilidade: as Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha, Brasilândia, Jaçanã, Capão Redondo, Jardim São Luís, e Diadema, oferecem rampa de acesso para pessoas com mobilidade reduzida, elevador, sanitários acessíveis, piso tátil, equipamentos que permitem a leitura para pessoas com deficiência visual e motora, impressoras braille, leitor de audiobooks e acervo com mais de 110 exemplares em braille (livros e audiobooks)..

SOBRE O PROGRAMA FÁBRICAS DE CULTURA

As Fábricas de Cultura são espaços de acesso gratuito que promovem diversas atividades artísticas. Criadas com o objetivo de ampliar o conhecimento cultural por meio da interação com a comunidade, as Fábricas oferecem uma programação cultural diversificada. Nas unidades você encontrará cursos, atividades, bibliotecas e estúdios de gravação. Em 2022, as Fábricas de Cultura – programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis – contam com o patrocínio do Instituto Center Norte e o Instituto GPA, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Apoios como estes contribuem para a realização de atividades de formação e difusão cultural para crianças, jovens e adultos.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Este post foi publicado em: Cultura
Etiquetado como:

por

Formado em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo, Letras, pela Faculdade Diadema. Pós-Graduado em Estudos Linguísticos e Literários pela Fundação Santo André. Andante das ruas da Cidade Ademar e de toda São Paulo e apaixonado pelas comidas de boteco e futebol, principalmente futebol de várzea.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s